Ação 1. Iniciativas de sensibilização/dinâmicas participativas e apresentação/discussão de resultados e práticas

Pretende-se, com esta ação, desenvolver um programa de capacitação para um grupo de jovens estudantes do ensino secundário de Guimarães, de modo a que venham a ser agentes multiplicadores de comportamentos preventivos da violência no namoro. Pretende-se, igualmente, sensibilizar e consciencializar a comunidade educativa, mais concretamente professores/as, assistentes operacionais, técnicos/as, para as questões da igualdade de género e da violência doméstica, para que também estes/as possam ter um papel ativo na promoção de uma cultura de não discriminação e de não-violência. Para o efeito serão desenvolvidas as seguintes atividades:

  1. Programa de Capacitação de Jovens, numa lógica de BootCamp, através de dois dias intensivos de capacitação com recurso a metodologias participativas, tendo em vista a definição pelos/as jovens participantes de produtos/ações/recursos de prevenção e combate à violência no namoro e de promoção de uma cultura de não-violência que permitam uma ação/intervenção entre pares no futuro. Deste programa de capacitação resultarão projetos e ideias de campanhas de sensibilização e de recursos técnico-pedagógicos a serem desenvolvidos no decurso das ações 2 e 3 do presente projeto.
  2. Ações de Sensibilização, destinadas à comunidade educativa das Escolas Secundárias envolvidas, tendo por objetivo consciencializar todos/as os/as agentes educativos/as para estas temáticas, contribuindo para aumentar o seu estado de alerta perante potenciais situações de discriminação e/ou violência e dotando-os/as de ferramentas de prevenção e, mesmo, de combate a estas situações.
  3. Seminários Temáticos/Mesas Redondas/Debates destinados a sensibilizar a sociedade civil, em geral, e a promover a partilha de práticas e de conhecimentos sobre a prevenção e combate à violência doméstica e de género, realizar-se-ão para assinalar algumas datas significativas
  4. Seminário Final de apresentação e divulgação de resultados e produtos do projeto, dirigido à sociedade civil, em geral, e à população juvenil, em particular.

Ação 2. Elaboração de Recursos Técnico-Pedagógicos

No âmbito desta ação, pretende-se a cocriação de recursos técnico-pedagógicos e de produtos de prevenção e combate à violência no namoro, com o intuito de alertar e sensibilizar os jovens para a adoção de comportamentos preventivos da violência no namoro. Nesta ação serão realizadas as seguintes atividades:

  1. Cocriação de recursos técnico-pedagógicos (RTP) e de produtos de prevenção e combate à violência no namoro – produtos e recursos técnico-pedagógicos a serem concebidos pelos/as jovens participantes no programa de capacitação e a serem coconstruídos, nesta ação, com o apoio da equipa do projeto e outros parceiros, suscetíveis de alertar os seus pares para a adoção de comportamentos preventivos da violência no namoro. Estes recursos técnico-pedagógicos e produtos poderão ser jogos pedagógicos, aplicações para telemóvel (APP), curtas-metragens, materiais de comunicação, de entre outras possibilidades. Saliente-se, ainda, que todos estes produtos e recursos técnico-pedagógicos serão compilados num Manual de Boas Práticas a conceber pelo projeto.
  2. Participação em processos de validação – de maneira a validar e, desta forma, poder disseminar alguns dos recursos técnico-pedagógicos e produtos criados pelos/as jovens junto de outras entidades, pretendemos participar nas redes criadas para o efeito.
  3. Ação 3. Campanhas de Informação e Divulgação

Destinadas a divulgar o projeto junto da população e dos/as seus/suas destinatários/as, a informar e consciencializar a sociedade em geral para a necessidade de prevenir e combater a violência doméstica e de género, bem como a divulgar os produtos e recursos técnico-pedagógicos criados pelos/as jovens participantes no projeto, serão organizadas as seguintes atividades:

  1. Aplicação e disseminação dos produtos e RTP nas Escolas – tendo em vista a educação entre pares, os/as jovens participantes do processo de capacitação e de construção de RTP, irão disseminar e aplicar os mesmos nas suas Escolas, informando e sensibilizando os seus pares para a problemática da violência no namoro.
  2. Campanha pela eliminação da violência doméstica – pretende-se assinalar o dia 8 de março (2020 e 2021), Dia Internacional da Mulher, para sensibilizar a Sociedade Civil para a urgência de uma ação coletiva com vista à eliminação da violência doméstica. Esta campanha consistirá numa concentração de Motards, BTT, Carros e Veículos Todo Terreno que percorrerá o concelho de Guimarães a distribuir material de informação e sensibilização e que, em pontos de paragem pré-definidos, visitarão e participarão em atividades desenvolvidas pelas comunidades locais (freguesias) com o mesmo objetivo. Constituirá, assim, uma campanha de larga abrangência, envolvendo toda a comunidade do concelho de Guimarães na sua dinamização.
  3. Ação 4. Capacitação Técnica e Financeira

Tendo como objetivo consolidar o papel da Sol do Ave enquanto agente ativo na prevenção e combate à violência doméstica e à violência no namoro no concelho de Guimarães, serão realizadas as seguintes atividades:

  1. Criação de uma Rede Local de Parceiros/as –Pretende-se com esta atividade promover a criação e a implementação de um modelo de trabalho em rede, que iniciará com este projeto e que permaneça no território, designadamente no seio da Rede Social Concelhia, na prevenção e combate à violência doméstica. Assim, envolveremos, desde logo, nesta Rede de Parceiros/as as seguintes entidades: Câmara Municipal de Guimarães (Parceiro Estratégico deste projeto), Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Guimarães, Escolas Secundárias e Profissionais participantes no projeto, Forças de Segurança, Serviços Locais da Segurança Social, Fraterna – Centro Comunitário de Solidariedade e Integração Social, Centros de Saúde e outras entidades que integram já a rede de parceiros/as da Câmara Municipal. Esta rede de trabalho participará ativamente na dinamização das diversas atividades do projeto, numa lógica de trabalho colaborativo.
  2. Atividades de informação e comunicação – de maneira a dar permanente visibilidade ao projeto, será criada uma página do mesmo no Facebook e no Instagram, com informação atualizada das atividades desenvolvidas, bem como de atividades/notícias/produtos/recursos disponibilizados por outras entidades (nacionais e internacionais) e de interesse para o público do projeto. Esta informação constará, igualmente, no site institucional da Sol do Ave. Para além disso, todas as ações previstas no projeto serão amplamente divulgadas junto dos órgãos de comunicação social locais e regionais, contando, para o efeito, com a colaboração do Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Guimarães.
  3. Preparação de equipas de apoio à ação da Entidade – tendo em conta que a equipa técnica deste projeto é reduzida e os seus resultados ambiciosos, serão implicados/as na implementação das atividades do projeto técnicos/as da Câmara Municipal de Guimarães. Assim, de modo a promover a permanente capacitação de todos/as o/as técnicos/as envolvidos no projeto, será incentivada a sua participação em ações de formação desenvolvidas por outras entidades, sempre que tal se revele pertinente.
  4. Avaliação do projeto - para além daquela que é a avaliação e monitorização contínuas do projeto a serem levadas a cabo pela Equipa Técnica do mesmo, pretende-se, de forma complementar, realizar um estudo de avaliação final do projeto, de forma a aferir do impacto do mesmo na sociedade civil, bem como nos públicos-alvo mais específicos do projeto (população jovem). Esta avaliação procurará responder, designadamente, às seguintes questões: quais as principais características da execução do projeto; em que medida foram atingidos os resultados esperados, tendo em conta os indicadores de resultados definidos e aquele que foi contratualizado; qual o impacto do projeto na sociedade civil, nas organizações envolvidas, nos seus públicos-alvo e na organização promotora (avaliação de eficácia e eficiência). Esta será, deste modo, uma avaliação mais global do projeto e suas atividades, levada a cabo no último semestre de execução do projeto por Técnicos/as Superiores da Sol do Ave, sem qualquer envolvimento da execução do projeto, garantindo-se, assim, a sua independência e separação de funções.

good vibes

Entidade coordenadora e executora
  Logo SoldoAve vetorial 2

Cofinanciado por
poise
P2020logo
UE FSE

cig v2

 

Powered by Amazing-Templates.com 2014 - All Rights Reserved.